A arte de Beatriz Mizalhes

Beatriz Mizalhes é carioca, nasceu em 1960 e também atua como artista plástica, gravadora e ilustradora. Formada em Comunicação Social pela Faculdade Hélio Alonso na década de 1970 e posteriormente em Artes Plásticas na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage), além de ter atuado como professora de pintura até 1996 no Parque Lage. Sua obra ganhou visibilidade ao entrar no universo pictórico e participou do grupo Geração 80, conhecido por resgatar a pintura em contraposição à corrente conceitual da década de 1970.

Beatriz Mizalhes

Já em 1990, seu trabalho era exibido com destaque em exposições internacionais na América do Norte e Europa como Museum of Modern Art (MoMa), Solomon R. Guggenheim Museum e The Metropolitan Musem of Art (Met), em Nova York, do Museo Reina Sofia, em Madrid, entre outros, alçando assim, elogios fervorosos da crítica e citada em diversas revistas de arte pelo mundo.

Beatriz Mizalhes

Rebeca Fuks, Doutora em Estudos da Cultura, fez breves descrições acerca de algumas obras de Beatriz Mizalhes. Confira:

MARIPOSA

Pintado em 2004, o quadro fez parte de uma exposição chamada Jardim Botânico, realizada no Pérez Art Museum Miami, nos Estados Unidos. Trata-se de um acrílico sobre tela quadrado com dimensões grandes (249 x 249 cm). O curador-chefe responsável por essa retrospectiva de Beatriz Milhazes realizada nos Estados Unidos foi Tobias Ostrander, a mostra reuniu 40 obras da artista.

Beatriz Mizalhes

O MÁGICO

A tela O mágico foi a primeira a quebrar o recorde de obra brasileira contemporânea mais bem paga em leilões estrangeiros. Até então o recorde era da pintora paulista Tarsila do Amaral. Pintado em 2001, o quadro foi vendido em um leilão da Sotheby’s, em Nova Iorque, em 2008, por US$ 1,05 milhão.Beatriz Milhazes

O ELEFANTE AZUL

Criada em 2002, a tela O elefante azul foi levada a leilão na Christie’s e acabou arrematada por quase US$ 1,5 milhão. A artista falou na ocasião a respeito da composição dessa tela específica: “Ela tem uma estrutura musical em sua composição. A grande característica dentro deste contexto são as pautas musicais que eu comecei a trabalhar no início dos anos 2000 e que eu já vinha trabalhando com os arabescos. São elementos musicais específicos que discutem entre si, com ritmos diferentes, cores e formas criando uma geometria musical.”Beatriz Milhazes

O MODERNO

Outro grande sucesso internacional de Beatriz Milhazes é a tela O moderno, pintada em 2002. Em um leilão realizado na Sotheby’s em 2015, a obra foi arrematada por US$ 1,2 milhão. Antes de ir a leilão, a tela havia pertencido a um colecionador espanhol que a comprou em 2001 por US$ 15 mil. O moderno é uma obra típica da artista, com uma série de círculos ocupando quase a totalidade da tela.

Beatriz Milhazes

MULATINHO

Pintado em 2008, Mulatinho é uma tela típica do estilo da artista: repleta de cores e formas geométricas. A tela é enorme, tem 248 x 248 cm, e atualmente pertence a uma Coleção particular. O uso de arabescos também é frequente na poética visual composta pela artista.

Beatriz Milhazes

Além disso, Beatriz serviu como inspiração para as reedições dos livros de Lygia Fagundes Telles pela Companhia das Letras. Antes do Baile Verde, As Meninas e Ciranda de Pedra são alguns dos que integram o projeto.

Tem alguma obra favorita da Beatriz? Conta pra gente nos comentários 😉

Compartilhe:
Voltar para Categoria